Culto da Família - 14 de agosto de 2016 - Pais que fazem a diferença

14/08/2016

Compartilhar:

Culto da Família na Igreja Metodista Betânia em Taubaté 
Palavra com o Pastor Rubens Fajardo


TEXTO BÍBLICO - Jó 1:1-8

INTRODUÇÃO: Talvez uma das maiores crises que a nossa sociedade tem experimentado seja aquela que mostra a realidade da falta de modelos, gente que sejam referência positiva para a atual geração. A paternidade é a mais nobre das missões e que requer preparo, muita dedicação e certa abnegação. A paternidade responsável é uma das maiores carências de nossos dias e sem ela a família entra em declínio por ter que lidar com dificuldades gigantescas na superação do buraco deixado pela sua ausência. Queria pensar com os amados hoje sobre um pai que nos pode servir de modelo, e a lição que podemos extrair desta passagem é que:

 

UM PAI QUE FAZ DIFERENÇA DEIXA MARCAS PROFUNDAS NA VIDA DE SEUS FILHOS

 

VEJAMOS QUAIS FORAM ESTAS MARCAS PROFUNDAS QUE JÓ DEIXOU NA VIDA DE SEUS FILHOS

 

I-MARCA DA VIDA ÍNTEGRA (V.8)

  •     Deus tinha um excelente conceito sobre integridade e retidão na vida de Jó Disse então o Senhor a Satanás: "Reparou em meu servo Jó? Não há ninguém na terra como ele, irrepreensível, íntegro, homem que teme a Deus e evita o mal". Jó. 1:8
  •     Não havia na terra ninguém semelhante a Jó, vida santa e caráter irrepreensível. O Senhor cuida da vida dos íntegros, e a herança deles permanecerá para sempre. Em tempos de adversidade não ficarão decepcionados; em dias de fome desfrutarão fartura. Sl. 37:18-19
  •     Era modelo para seus filhos, cujo ensino era respaldado pelo seu exemplo, vivia o que ensinava, sua educação era feita com a vida e não só em palavras

 

II-MARCA DA AMIZADE COM FILHOS (V.4)

  •      Os filhos de Jó cultivavam amizade entre si, pois aprenderam este princípio com o pai.
  •      Jó não fazia comparativos entre filhos, porém zelava pela unidade dos mesmos. Isaque preferia Esaú, porque gostava de comer de suas caças; Rebeca preferia Jacó. Gn. 25:28
  •      Viviam em harmonia e celebravam a vida com alegria e em comunhão uns com os outros

 

III-MARCA DO ZELO ESPIRITUAL NA VIDA DOS FILHOS (V. 5)

  •      A bíblia diz que durante os eventos festivos Jó chamava seus filhos e os santificava (V 5)
  •      E este não foi um esforço realizado por ele somente na infância, mas quando adultos também.
  •    Era um pai responsável que buscava incutir no coração dos filhos valores dos céus por isso ele os chama e os santifica Como é feliz quem teme ao Senhor, quem anda em seus caminhos!Você comerá do fruto do seu trabalho, e será feliz e próspero. Sua mulher será como videira frutífera em sua casa; seus filhos serão como brotos de oliveira ao redor da sua mesa.Assim será abençoado o homem que teme ao Senhor! Que o Senhor o abençoe desde Sião, para que você veja a prosperidade de Jerusalém todos os dias da sua vida, e veja os filhos dos seus filhos. Haja paz em Israel! Sl. 128)

 

IV-MARCA DA INTERCESSÃO FIEL PARA COM OS FILHOS (V.5)

  •      Jó orava pelos seus filhos de madrugada, mesmo tendo uma agenda cheia de compromissos.
  •      Tinha como dinâmica prioritária o levantar de madrugada para interceder e isto lhe era prazeroso
  •    Era sacerdote do lar, pois levantava de madrugada e oferecia holocausto para cada um deles, pois dizia que talvez tenham pecado (v.5)

 

V-MARCA DA PERSEVERANÇA NA ORAÇÃO PELOS FILHOS (V.5)

  •    Muitos pais oram pelos filhos durante algum tempo, Jó, porém o fazia continuamente (V.5)
  •    Nossa geração necessita urgentemente de pais perseverantes na oração e intercessão pelos filhos
  •    Filhos precisam presenciar pais orando, clamando aos céus por suas vidas perseverantemente.

CONCLUSÃO: Que tipo de pai temos sido? Nossas vidas são exemplos claros de integridade? A relação com nossos filhos tem sido marcada por turbulências ou por um imperativo de amizade? Temos tomado o cuidado de sermos agentes de formação espiritual da vida de nossos filhos? A intercessão pelos nossos filhos em horários seletos de nossa agenda é uma prioridade de compromisso? A perseverança em orar pelos nossos filhos faz parte da nossa cultura de vida? Que tipo de pais temos sido?


Compartilhar: